• Unidade Centro (24h)
    (86) 3301-2500
  • Medical Leste
    (86) 3301-2510
  • WhatsApp

Entrevista: Sarah Menezes

25 de outubro de 2010

A judoca piauiense Sarah Gabrielle Menezes, eleita a melhor atleta de 2009 no Prêmio Brasil Olímpico, promovido pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), começou a treinar judô aos nove anos e seu objetivo sempre foi chegar aos Jogos Olímpicos de 2012, sonho que teve o começo de sua materialização quando representou o país nos Jogos Olímpicos  Pequim 2008. Em 2009 conquistou seis medalhas internacionais na categoria ligeiro (até 48 Kg): ouro no Campeonato Mundial Júnior (Paris), ouro na Copa do Mundo de Madrid (ESP), ouro na Copa do Mundo de Lisboa (POR), prata na Copa do Mundo de Belo Horizonte (BRA), bronze no Grand Slam do Rio de Janeiro (BRA) e bronze no Campeonato Pan-Americano de Buenos Aires (ARG). O ouro no Mundial Júnior fez Sarah entrar para a história do judô brasileiro, ao ser a primeira bi-campeã mundial na categoria.

A sua conquista mais recente foi em setembro, uma medalha de bronze no Mundial de Judô de Tóquio ao derrotar a francesa Frederique Jossinet na disputa da categoria -48 kg. Sarah ajudou à equipe feminina brasileira a obter o melhor resultado da história em Mundiais da modalidade.

Agora, você vai conhecer um pouco mais sobre essa fantástica garota de 20 anos, que tem muito para contar:

P. Sarah, você tem uma história que inspira muitos piauienses, atletas ou não, a serem vencedores. Quais os pontos que você pode destacar que a levaram a atingir o que conseguiu profissionalmente no esporte?

R. Foi devido à persistência do meu treinador Expedito falcão, minha vontade de chegar à seleção brasileira, apoio dos meus familiares, algumas empresas, meus companheiros de treino e amigos.  Sempre defini objetivos na minha vida e nunca desisti, sempre procurei vencer todos eles. Estou conseguindo até agorae. Muita força de vontade para conseguir todas essas vitórias.

E pessoalmente? O que você acredita que ganhou com esses anos de vitórias e derrotas?

Ganhei amadurecimento, experiência, respeito por todos, vida melhor, conhecimentos.

Como o judô surgiu em sua vida? Foi o primeiro esporte?

Eu comecei na escola, houve uma apresentação de judô e eu fiquei admirada com os golpes.
Sempre gostei de desafios, entrei por brincadeira com meus amigos. Foi meu primeiro esporte!

Quantas horas de treinos e quantos dias por semana compõem sua rotina de atividades físicas?

Eu treino todos os dias, de segunda a sexta. Às vezes no sábado (não é sempre). Pela manhã faço fisioterapia e musculação, na parte da tarde eu estudo e a noite me dedico nos treinos do judô. Treino musculação 1h: 30min e o judô 3hs

oto2

Qual a sua formação estudantil? O que você estuda?

Eu já terminei no colegial, hoje sou Educadora Física, faço Educação Física na FSA, estou no 2º período.

Se por acaso não se tornasse judoca, teria alguma outra modalidade esportiva que você tem afinidade ou gostaria de ser tão eficiente?

Eu sempre gostei de esporte, já brinquei de futebol, handebol, basquete, vôlei e adorei todos. Tudo isso na escola.  Sinceramente eu não sei, na minha infância sempre gostava mais de jogar Handebol e futebol!

Tem algum hobby ou tem alguma habilidade fora do judô? (Algo que gosta muito de fazer nas horas de folga dos treinos)

Gosto de ouvir músicas, assistir filmes de comédia, distrair com meus amigos e amigas.

Como você vê o investimento no esporte em nível de Piauí? Sabemos que no mundo o esporte movimenta bilhões de dólares, mas a nível nacional e local, é sofrível o apoio e patrocínio de atletas, modalidades e eventos esportivos. O que você acha que mudou durante esses anos que você atuou?

Muito pouco, o investimento é quase nulo do ponto de vista local, se o esporte não vem com um incentivo de um grande grupo, os atletas têm de ficar na dependência dos pais e parentes e até sair de loja em loja pedindo patrocínio como é comum acontecer em Teresina. Hoje alguns grupos empresariais já ajudam com apoios, mas ainda está longe de ser o ideal, existem esportes que são muito caros na sua manutenção entre treinamento e equipamentos e muitos outros valores ainda se agregam, ainda é complicado, mas a esperança é que melhore tendo em vista todos os bons resultados que são reais no esporte. Não somente no judô.

Como foi essa experiência do mundial no Japão?  Conheceu autênticos dojos por lá?

Japão é outra realidade, lá que nasceu o judô… Lá está um dos melhores atletas do judô. Minha experiência foi ótima, lutei super bem nessa competição… Lá estavam os melhores atletas de cada país, tinham presentes na competição 112 países. As atletas do meu peso que é até 48 kg são muitos fortes, rápidas e inteligentes. Na minha chave da competição estavam escritas 52 atletas e eu fiquei em 3º lugar. Lembrando que nesse mundial o país podia entrar com duas atletas em cada peso! ”Nova regra do judô. ” Sempre nessas viagens conseguimos aprender, buscar mais conhecimentos. Gosto muito da cultura japonesa, são pessoas honestas. Dojos tem milhares, na 1º escola que nasceu o judô chama-se Kodokan (Instituto do Caminho da Fraternidade) são cinco andares só com áreas de tatame.   É muito bonito!

Onde você nasceu? Onde foi criada? Como é sua relação com sua família? Tem muitos amigo(a)s? Como você se define ?

Eu nasci em Teresina na maternidade Evangelina rosa as 09h20minhs da manhã (risos).  Fui criada sempre na zona sul de Teresina, minha relação com todas as pessoas são ótimas, nos entendemos muito bem. Tenho amigos, amigas. Eu me defino uma pessoa simples, humilde, trabalhadora, interessada, companheira, inteligente.

otox
Qual sua perspectiva de vida profissionalmente falando?

Terminar meu curso de educação física. Depois cursar Fisioterapia. No judô, conseguir medalhar em olimpíadas, trazer mais medalhas em mundiais seniores e sempre aperfeiçoar minha forma de lutar.

Quais as dicas que você daria para os jovens atletas que sonham em ser campeões?

Nunca desista dos seus sonhos, procure sempre ter objetivos, tome iniciativas nas coisas, atitude e busca sempre o melhor para você! Acredite sempre em vocês mesma.

Responda rápido:

Um livro? Transformando o suor em ouro, Bernardinho.
Um filme? Comédia
Uma viagem? Londres
Torce por algum time de futebol? Vasco
Algo que não pode deixar de levar sempre em uma competição fora? Motivação, livros de campeões.
Religião? Católica

F.C.
Fotos: Divulgação